quinta-feira, 23 de junho de 2011

Ilha de Chiloé, Chile

Fui fazer uma viagem, no Chile, o objetivo era aproveitar as férias que estavam acabando sem eu ter saído da minha cidade. Escolhi um lugar que já conhecia, Puerto Montt, para voltar lá a comer frutos do mar, turismo gastronômico porque é inverno e não é a melhor época para pensar em outras coisas.


Minha viagem coincidiu com a erupção de um vulcão próximo de onde eu estava indo, o vulcão Puyehue começou a erupção no sábado e minha viagem estava marcada para o domingo.Viajei um pouco apreensivo.


Cheguei em Santiago, larguei minhas coisas no hotel e fui direto num restaurante especializado em frutos do mar. Juan Carlos, o taxista com quem fiz amizade, me deixou no "Azul Profundo". Devo dizer que sou apaixonado em frutos do mar. Além da comida, o ambiente era do jeito que gosto,  nada reluzente e brilhante, tudo na madeira e com detalhes curiosos, tinha até uma proa de navio com sereia, que parecia ter arrombado a parede do pequeno salão onde fiquei.


No vôo de Santiago a Puerto Montt deu para ver as cinzas do vulcão acima das nuvens, parecia um cogumelo atômico sobressaindo no extenso lençol branco. Foi a única vez que vi algo da erupção, que tinha dois dias de ter começado. O tempo nublado e com chuva não permitia ver a cordilheira estando em terra.
A cidade de Puerto Montt fica a 85 km de distância do vulcão, em linha reta, mas todas as cinzas eram carregadas pelo vento para o leste na direção da Argentina, Brasil e Uruguai.


Cheguei em Puerto Montt, larguei as coisas no hotel e fui direto nos restaurantes do Angelmó, que são especializados em frutos do mar. Chamar eles de restaurantes é só como referencia. A maioria são lugarzinhos apertados e hiper-singelos. Um que outro tem uma aparência um pouquinho melhor, mas fazem um conjunto interessante, onde a concorrência entre eles os leva a procurar o freguês na rua, literalmente. Na parte de baixo funciona o mercado de peixes e mariscos, de maneira que os "restaurantes" conseguem tudo muito fresco.


A concorrência entre eles, todos especializados em frutos do mar e colados um ao outro, os leva a competir em preços, qualidade dos produtos e atendimento, mas, não é nada sofisticado, é uma cozinha na base do panelão fervendo, ou na prancha, algumas coisas fritas e fora isso pode encontrar coisas em escabeche e sempre o tradicional ceviche.

Meu prato favorito é a mariscada, que leva todo tipo de frutos do mar, de preferência sem peixe nenhum. É isso mesmo, nesses lugares podem se dar ao luxo de fazer uma mariscada lotada com uma enorme diversidade de frutos de mar e sem colocar peixe. Ah, é por isso que o esforço de ir até lá vale a pena, pela incrível diversidade de frutos do mar.


A mariscada é chamada de "Paila Marina", nos restaurantes de mariscos mais populares, e nos mais requintados inventam outros nomes, é comum ser chamada de "Sopa Marineira" ou "Zarzuela de Mariscos" e de muitos outros nomes. Ao ver o cardápio, se não for fácil identificar o nome da mariscada, era só perguntar se tinha algo parecido com a "Paila Marina". Todos tem.


Fui conhecer os arredores, dedicando todo meu tempo à ilha de Chiloé, que é uma provincia (estado) que pertence à X Região dos Lagos. A ilha sozinha é enorme (8.300 km²) e contando com as quarenta ilhas menores, com as quais forma um Archipelago, aumenta para 9.181,6 km².


Quando conheci Ancud decidi mudar para lá.  Embora Puerto Montt não seja uma cidade muito grande  (175.847 hab.), Ancud é bem menor, além disso achei atrativos os restaurantes de lá especializados em frutos do mar.








Na ilha de Chiloé destacam-se 3 cidades, Castro que é a capital (39.366 hab.), Ancud (39.946 hab.) e Quellon (21.823 hab.), as outras menores são: Chonchi (12.572 hab.), Dalcahue (10.693 hab.), Quemchi (8.689 hab.), Quinchao (8.976 hab.) e outros povoados menores que aparecem no mapa a seguir.






 
No sul da ilha tem o Parque Tantauco e o Parque Tepuhueico, que ocupam a parte que parece desabitada no mapa acima , ao oeste de Quellon. O Parque Nacional de Chiloé fica no meio da ilha, próximo de Castro.

Não fui em Parque nenhum, o tempo estava frio, chovia e ventava, pleno inverno. Todos os lugares com a calefação ligada. Saindo fumaça de todas as chaminés rsrs.

Fui em Castro e Quellon. Esta última tem um ponto turístico que vou explicar melhor numa próxima postagem.

 


Voltei para Santiago e o taxista Juan Carlos me levou num restaurante, de frutos do mar, chamado "Aqui esta Coco", a aparência do restaurante era tão sofisticada que nem desci do táxi, é um restaurante que esta novo depois que pegou fogo, eu queria ficar mais a vontade,  pedi para o taxista me levar em outro e me deixou no "Coco Loco", que infelizmente tinha fechado a cozinha nessa hora, que não era nem tão tarde assim. 

Para quem procura frutos de mar, o que não falta é restaurante em Santiago, acompanhei o pessoal que estava sendo encaminhado para o "Puerto Marisco", que fica na rua Isidora Goyenechea. 

Foi um presente do destino, esse restaurante tem um excelente atendimento, o lugar é muito bom, elegante, mas tem um ambiente bem agradável. Ai a paila marina chamava-se "Zarzuela de Mariscos". Na hora de servir a sobremesa tive uma surpresa quando o garção, o Sr Gaston Briones, pintou na hora um quadro com uns passarinhos no prato, usando como tintas o creme de leite, chocolate, cereja e outras "cores". Achei muito criativo e com um toque personalizado. Tirei uma foto com o cell, vejam :









Muitos outros lugares vão ficar para a próxima vez. 


Não me afastei do meu objetivo gastronômico, paralelamente acompanhado de degustação de cervejas escuras, bock ou cervejas preta tipo stout, que caiam muito bem naquele frio.




Sozinho? sim, dessa vez sim, espero na próxima estar em boa companhia rs.




Obs: Ultrapassei as margens com as fotos a propósito, algumas coisas acho bom não fazer de uma maneira muito certinha. Por outro lado, consigo que vocês vejam uma imagem melhor, não é isso o que importa ?

5 comentários:

Pimenta disse...

Bom ler "diários de bordo", conhecer coisas novas, sentir um pouco do que o viajante sentiu.
Surpreendente o trabalho artístico do garção na sobremesa, isto é prestar mais que um serviço, é encantar. Obrigada por dividir conosco.

*Laudi* disse...

Nossa, amei as paisagens, os barcos, enfim, todas, mas o que mais me chamou a atenção foi a 'mariscada', e confesso, acabei de cometer o pecado da 'gula' ao ver as últimas fotos postadas. Nunca estive enganada, como muitos alardeavam quando eu comentava que gostaria de conhecer o Chile. De fato é um país de surpresas que só pessoas sensíveis e boas observadoras podem chegar a conclusão que vale a pena a viagem.

Zucalord _kitiro disse...

Parabens pelo seu blog..
Gostei

Zucalord _kitiro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Aventuras da Fabi disse...

Chiloé é um lugar lindo, maravilhoso. Estive lá agora em dezembro, para visitar a Pinguinera. Espero voltar com mais tempo.
Também estive em Puerto Montt, mas já tinha almoçado. Apenas tirei fotos os frutos do mar que são diferentes dos que temos aqui.
Muito bom o teu relato.