terça-feira, 30 de abril de 2013

Línguas e Alfabetos

A linguagem pode ser oral, escrita ou ainda outra, como a dos sinais ou gestos.
Quando crianças todos aprendemos a falar a língua dos nossos pais, a linguagem falada é sempre a primeira que aprendemos a usar.
Depois quando vamos para escola, ou ainda em casa, aprendemos o alfabeto.
O alfabeto é o começo da linguagem escrita, o fundamento para poder ler e escrever.
Basicamente um alfabeto serve para transcrever sons (fonemas).
De acordo com o "Etnologue" existem, atualmente, um total de 7.105 línguas faladas no mundo.
O "Etnologue Language of the World" faz pesquisas desde 1951 e constitui o mais abrangente e atualizado estudo sobre as línguas faladas no mundo. Apresenta gráficos por continentes e informação sobre cada uma.
Neste outro Link vai encontrar as 52 línguas mais faladas no mundo, mas, esses dados servem apenas para ter uma idéia porque já estão um pouco defasados. As línguas que nessa listagem ocupam os últimos lugares são faladas por 17 milhões de pessoas.
Das milhares de línguas, muitas não tem escrita, as que tem escrita utilizam letras que pertencem a um determinado alfabeto ou podem usar figuras que representam conceitos e não ter alfabeto, como é o caso do mandarim (chines).
A escrita Chinesa é caraterizada pela ausência de um alfabeto. As línguas chinesas (Mandarim, Cantonês e Hakka) escrevem logogramas (idiogramas) que representam conceitos e não apenas sons como ocorre com os alfabetos.
As outras línguas escritas possuem alfabetos, que são relativamente poucos, considerando as milhares de línguas faladas no mundo.
Em termos de quantidade de pessoas que os utilizam, os principais alfabetos são: Latino ou Romano, Árabe, Cirílico, Bengalí, Devanagari, Gurmukhi, Shahmukhi, Oriya, Hiragana, Katakana, Hangul (Coreano), Tailandês, Amhárico, e Grego. Mais adiante vou colocar exemplos de cada um.
Algumas línguas são parecidas entre si e é muito mais fácil aprender elas.
De acordo com o Ethnologue, para quem fala espanhol a língua mais parecida que existe é o português, porque entre eles há 89% de similaridade.
Depois do português, a língua mais próxima do espanhol é o Catalán, com 85% de similaridade, e em terceiro lugar o italiano, que tem 82% de similaridade com o espanhol.
Outras línguas derivadas do latin apresentam também muita semelhança, por exemplo, o espanhol com o francês tem 75% de similaridade e com o rumano 71%.
Em gráficos comparando as milhares de línguas faladas no mundo, encontramos gráficos comparativos no Ethnologue, veja a seguir os do espanhol, português, francês, italiano, catalán, e rumano:

 


Além da semelhança na língua falada, no aprendizado dos idiomas o mais fácil é aprender línguas que usam o mesmo alfabeto que já conhecemos.

Nesse caso a linguagem escrita é sempre utilizada no aprendizado da línguagem falada.
Pode ocorrer que, como falar e ler/escrever são coisas diferentes, aprendamos a ler e escrever muito bem o novo idioma e temos dificuldade para falar corretamente.
Isso pode acontecer com pessoas que falam línguas derivadas do latim, como as que aparecem nos gráficos acima, quando querem aprender línguas que o Ethnologue classifica como germânicas, tais como o Inglês, alemão e línguas escandinavas, por exemplo, norueguês, dinamarquês e sueco.
Três línguas disputam os primeiros lugares de língua mais falada no planeta.
Na disputa estão o chinês (mandarim), o inglês e o hindi.
O inglês é a língua com maior quantidade de falantes, segundo este link (veja), disputa com outras duas línguas que são o mandarim (China) e o hindi (Índia), estas ocupam posição de destaque em função da população desses países.
Diferente do inglês que é utilizado como língua "franca"(veja Link).

O inglês e o alemão, de acordo com os estudos linguísticos, possuem 60% de similaridade.
As línguas ditas germânicas tem pouca semelhança com as derivadas do latim, por exemplo entre o inglês e o francês existe apenas 27% de similaridade, mas, todas elas usam o mesmo alfabeto.
 
Todos nós desenvolvemos uma forte associação entre a língua falada e o alfabeto que aprendemos e usamos no dia a dia para ler e escrever.
Estamos muito acostumados com essa associação.
Automaticamente ao ver o simbolo "A" ou "T" lembramos de um som.
Falar, ler e escrever são atos diferentes que juntamos e fusionamos em uma coisa só que constitui nossa comunicação com o mundo e que inclui gestos e sinais.
Podemos considerar que, atualmente, todo o conhecimento humano esta dividido em 7.105 compartimentos, um para cada língua que existe.
Em cada um desses compartimentos esta o acervo cultural produzido por todos os seres humanos que falaram essa língua ao longo da história.
Alguns compartimentos são muito grandes, a informação codificada sob a língua inglesa é muito maior do que a de uma língua falada por poucos indivíduos.
Têm línguas extintas, que não tem mais ninguém que as fale no cotidiano.
São as famosas línguas mortas. Os casos que considero mais impressionantes são o do Latim, o Egípcio e seu sucessor o Copta.
O Egípcio foi falado e há registros do seu uso datados de 3.400 a.C (link english). O Prof. Gunter Dreyer do Instituto Arqueológico Alemão no Egito, descobriu que foram os egípcios e não os sumérios, que inventaram a escrita.
O fato é que o egípcio foi extinto (veja Link), num processo que durou mais de três mil anos e pode ser visto neste link, até sua extinção e substituição pelo Copta.
O Copta (veja Link), que significa egípcio, teve seu apogeu no século III até o VI, depois foi gradualmente substituído pelo árabe. Hoje não existe mais como língua cotidiana, mas, ainda é mantido nas liturgias da Igreja Ortodoxa Copta e da Igreja Católica Copta.
O caso do latim, extinto, é igualmente impressionante.
Durante 500 anos foi a língua oficial da Republica Romana e depois a do Império Romano. Hoje não existe como língua cotidiana, embora a Igreja Católica o usa e o latim clássico é ensinado em algumas escolas, sem contar seu uso esporádico em várias áreas, como por exemplo, o direito e a botânica.
Quando dominamos uma língua, além do acesso a essa parte do acervo cultural da humanidade, ficamos com passaporte livre para nos comunicar com as pessoas que falam essa língua.
Depois de passar anos acostumados a ler e escrever usando um alfabeto podemos querer aprender um idioma que usa outro alfabeto.
Os alfabetos acima citados têm link e neles pode ver as línguas e países que os usam.
Para fazer uma comparação vejamos agora um pequeno exemplo de alguns deles.
A seguir algumas letras de cada alfabeto, exceto em Árabe e Bengalí dos quais foi colocado um texto, o primeiro artigo da Declaração dos Direitos Humanos, para ter um exemplo do conjunto das letras em dois alfabetos diferentes.

 Árabe:
 Declaração dos Direitos Humanos
 Bengalí 
 ধারা ১: সমস্ত মানুষ স্বাধীনভাবে সমান মর্যাদা এবং অধিকার নিয়ে জন্মগ্রহণ করে। তাঁদের বিবেক এবং বুদ্ধি আছে; সুতরাং সকলেরই একে অপরের প্রতি ভ্রাতৃত্বসুলভ মনোভাব নিয়ে আচরণ করা উচি

Devanagari, अ  आ   इ   ई  उ  ऊ  ए  ऐ ओ औ

Gurmukhi, ੳ ਅ ੲ  ਸ  ਹ  ਕ  ਖ  ਗ ਘ ਙ

Shahmukhi,       ق   ظ  س  ڈ چ    ٹ  پ  ب  ا

Oriya,

         ଅ ଆ ଈ ଊ
 ଌ ଐ ଓ







 ଞ ଟ













Hiragana  (Lingua Japonesa e Oquinauano)
  Ficheiro:Hiragana small.png

Tailandêsก ข ค ฅ  ฆ ง จ ฉ ช ฌ  ฐ  ณ 
Grego  α β γ Δ δ ε ζ η θ κ λ μ  ρ Σ   φ  ψ

Latino ou Romano, A B C D E F G H I J ...

Comparando as amostras acima pode ver que para quem usa o alfabeto latino, também denominado romano, todos os outros alfabetos do mundo são muito diferentes, exceto dois: O grego e o Cirílico
Na verdade o alfabeto grego tem símbolos que conhecemos da matemática ou de alguma outra ciência, e pensando em letras apenas o cirílico tem letras que parecem conhecidas.
A mesma coisa acontece para as pessoas que usam o alfabeto cirílico, o mais parecido ao alfabeto deles é o alfabeto latino.
Vejamos algo sobre cada um desses dois alfabetos.
O alfabeto latino ou romano é o mais utilizado no mundo.
Esse alfabeto é utilizado para escrever em todo o Continente Americano e em toda a Europa Ocidental, além de grande parte da Oceania e do Continente Africano.
As línguas que utilizam o alfabeto latino para escrever são: Inglês, Espanhol, Português, Italiano, Francês,Catalão, Alemão, Polonês, Neerlandês (Holandês), Sueco, Dinamarquês, Norueguês, Islandês, Indonésio, Malaio, Vietnamita,e Turco, para citar apenas os que tem maior quantidade de falantes.
O alfabeto cirílico (veja Link) é utilizado para escrever as seguintes línguas: Russo, Ucraniano, Bielorrusso, Búlgaro, Sérvio, Macedônio, Cazaque, Uzbeque, Mongol, Quirguiz e Tadjique (usa também árabe).
Vejamos alguns gráficos dessas línguas, para poder comparar com aqueles outros das línguas  derivadas do latim.



 

Quando alguém que usa um desses dois alfabetos quer aprender algum idioma que usa o outro alfabeto encontra facilidades pelo fato de ter letras conhecidas .
A facilidade são as letras em comum. Elas são cinco: A, M, O, K, T.
Simplesmente, cada uma delas representa o mesmo som em ambos alfabetos.

Também encontra algumas dificuldades, não apenas nas letras novas que não existem no alfabeto que já conhece, mas, também porque existem várias letras que são iguais e o som delas é diferente no outro alfabeto.
Esse é o caso das seguintes letras: m, p, r, c, g, H, U, y... mas, esse é um tema que quero abordar com mais detalhes na próxima postagem.


FIM

 

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Escolha Seu Final


Essa é a situação.
Para ela pode ser fácil ou difícil, depende do que aconteceu antes.
De qualquer forma envolve uma mudança, algo em rápido movimento, uma situação dinâmica, coisas que estão sendo alteradas, circunstâncias que mudam e trazem consigo a tomada de decisões rápidas.

Outra coisa clara é a atitude dele. Esse momento mostra uma iniciativa, ele já pulou, e também mostra uma ligação em que ele acredita, sua mão mostra isso, assim como mostra confiança e ainda guarda uma promessa de ajuda para puxar ela a superar o obstáculo.
Interessante ?
Imagine esse homem com você, é um homem com iniciativa, que tem uma ligação com você na qual ele acredita, que confia nele mesmo e nessa ligação com você, que mostra essa confiança com atitudes e esta disposto a ajudar você a superar obstáculos num caminho juntos.
O caminho juntos realmente não é um passeio no parque.
Esta mais para uma corrida de obstáculos e tem horas que a adrenalina dispara.
Não se pode dizer que falta emoção. O sentimento é emoção. Os riscos movimentam a adrenalina.

Agora, e ela?
Podemos ver o que quisermos ?  Na verdade não.
Se estamos aqui e vamos fazer um final para essa cena, o final depende muito de quem nós somos.
Em que é que nos acreditamos.
Quais foram nossas experiências passadas ?
Temos dentro de nós a confiança, a coragem, para colocar ela no ar?
Conscientemente, com responsabilidade, cientes das consequências, mandamos ela dar esse pulo no ar?

Não sabemos quem são eles. É verdade. No entanto o que eles estão fazendo nos leva a uma interpretação. A mais fácil é que eles formam um casal.
Por algum motivo estão dando um pulo entre dois prédios.
Poderiam até ser dois vagões de trem.
O que isso pode significar ? No geral, poderíamos dizer que estão deixando um lugar e indo para um outro lugar.
Um novo lugar sempre tem incertezas, apresenta riscos, situações que desconhecemos, novos ambientes que podem comprometer a segurança, uma segurança que já foi obtida onde estamos.
Então, porquê pular ?
A pergunta é mais dirigida a ela, nesse caso, ele já pulou, está no ar e respondeu essa pergunta, poderíamos questionar se a decisão dele foi boa. Isso na verdade faz parte do que ela deve analisar, deve conhecer os motivos dele, deve saber se são suficientes para ela pular.
Mas, além dos motivos dele, que podem ser semelhantes, vamos supor um perigo atrás deles, fogo, eles escapando de um incêndio, então os motivos dele são razões de sobrevivência que ela compartilha.
A sobrevivencia é relativa, raras vezes é a situação extrema, é mais comum a busca de melhores condições para sobrevivencia. Mudanças para melhorar renda. Mudanças para conseguir um futuro melhor.
Eles podem ter uma motivação semelhante.
Se não tiverem uma ameaça da qual estão escapando, as razões dela poderiam ser semelhantes caso o risco seja para alcançar um futuro melhor.
Um salto para o futuro.
Talvez uma decisão que tem antecedentes de decisões semelhantes.
Antecedentes pesam muito nas decisões.
A volta para o futuro, tem filmes que já vimos, mas podem ter variações I, II, III, etc.
Assumir um risco, fazer um esforço, para ter uma melhor posição.
Fazemos isso, já fizemos, continuaremos fazendo, mesmo que nossa situação seja boa, sempre podemos melhorar, agora, depende do tamanho do risco.
Caímos numa análise do risco-benefício.
Um risco excessivamente grande, só em casos de fuga, ou faltando um parafuso, ou ainda pela adrenalina, como nos esportes radicais. Adrenalina ? Como uma paixão ?
Sim, eles poderiam ser dois amantes em fuga.

O braço direito dela esta segurando, ou seja, a mão direita dela está segurando a mão esquerda dele.
O que isso significa ? Ele pulou com a perna esquerda, apoiando na direita, o mais comum é o contrário, mas, o movimento dele tem a ver com a mão que ele segura. Não poderia fazer de outra forma sem largar a mão dela.
E o pulo dela ? A cabeça dela esta inclinada olhando o "ABISMO", pode estar com medo, pode estar apenas calculando a distância do pulo.
A mão direita dela estendida acompanhando a mão dele é parte do movimento para a perna esquerda dela dar um passo. Um passo que vai ser o último passo antes do pulo. Depois dela dar esse passo não tem mais volta. Se ela der esse passo e se arrepender, vai cair, nem soltando a mão escaparia porque estaria desequilibrada e com um impulso para frente. 
O que isso significa ?
A ligação com ele, as mãos dadas, já a levou à metade do passo final. O braço direito dela elevado chama, naturalmente, o avanço do pé esquerdo. É assim que a gente caminha. 
O corpo dela esta inclinado para frente. O braço esquerdo dela bem atrás pode se movimentar para frente ajudando o impulso.
Ela vai pular.

Descobrí agora, só tenho dúvidas desse passo curto que ela tem que dar, deve colocar força suficiente para pular. Ela parece frágil, a saia comprida vai ajudar no movimento.
Que sejam felizes, jovens, uma vida pela frente.
O amor é tão lindo !

Ei ! olha, esta escuro! mas não é de noite...está amanhecendo !!!

Meu Deus !  Estão voltando da noitada e esse cara está bêbado!
Ela o quis segurar ! Mas é tarde, ele pulou !

Olha que pulo! 
Não, esse pulo não é de bêbado, nunca, eles não estão voltando da noitada. 
Então...Ele foi pegar ela de madrugada, antes do dia amanhecer, ela está fugindo de casa com ele!
Jovens! Uma vida pela frente!
O amor é tão lindo !
Que sejam muito felizes!


FIM





domingo, 31 de março de 2013

Russo Via Italiano

Encontrei umas aulas de russo, estão em italiano, mas, relativamente fáceis de entender para quem fala português. 
O bom delas é que passam informações rapidamente e com o controle do vídeo cada um vai dosando a velocidade.
Serve também para praticar o italiano.

O primeiro vídeo tem uma propaganda inicial da cidade italiana onde fica o Centro Borondina, que é um tipo de Fundação que promove o aprendizado da língua russa por ter ligações históricas relativas à Igreja Ortodoxa.
Então, dito isso, aguarde mais ou menos um minuto (1':10'') e vai começar a primeira lição (1ª).


video




A segunda lição (2ª) também têm uma divulgação da cidade e uma pequena resenha da ligação histórica.
video




A terceira lição (3ª), a seguir, começa divulgando o Centro Borondina e apresenta as ligações de trem com a Rússia, durante um minuto e pouco (1':30").

video




Na quarta lição(4ª) diminui a divulgação inicial, que trata rapidamente (0'28")do trem que liga a região com a Rússia.

video




Na quinta lição(5ª), que vou pular, era uma revisão rápida e curta de apenas um minuto (1') e que ainda tinha a habitual lembrança do Centro que a promove, então melhor passar para a sexta lição (6ª), que também começa com uma apresentação curtinha do Centro (0':40") e depois usa a mesma metodologia, apresentando no inicio quase tudo que vai ser visto no decorrer desta sexta lição (6ª).

video





Na sétima lição (7ª) há uma diminuição da propagandinha inicial, que melhorou apresentando imagens bonitas e dura quase nada (0'33") e tem uma pequena mudança na apresentação e também trocaram nossa professora de russo.

video





Na oitava lição(8ª), têm alguns verbos e sinto falta da tradução escrita em italiano, mas, é um sintoma de que a velocidade deve ser diminuída e passar por cima de alguma coisa se necessário, para tentar recuperar ela depois.
video




Na novena lição(9ª), aparecem as indicações de mudança nas terminações dos sustantivos e dos adjetivos, para ter concordância no gênero dependendo das conjugações dos verbos.
video





A décima lição (10ª), última lição disponível que aparece no YouTube, trata de expressão de sensações e as terminações corretas para alguns casos .
video




A imigração italiana no Brasil foi muito significativa, além de existir uma grande semelhança entre as duas línguas, uma vez que as duas são derivadas do Latin, e ainda observamos nas novelas brasileiras personagens que ajudam a divulgar mais o italiano.


O ideal seria ter umas lições de russo em português, vou continuar procurando por algo de bom nível. 
Ainda acho que o italiano é fácil, tudo é relativo, encontrei o russo sendo ensinado em outros idiomas, acabei ficando com o italiano, mas, vou colocar esse outro a seguir para comparação: 

quarta-feira, 27 de março de 2013

O Primeiro Elemento

A água é indispensável à vida como a conhecemos.
Todos sabemos que ela faz parte do nosso corpo numa alta percentagem (70% a 75 %) e cobre a maior parte da superfície de nosso planeta (71%).

Você sabia que ela, no Universo, está ligada ao nascimento das estrelas ? Segundo Gary Melnick do Harvard-Smithsonian Center (Veja Link): "O nascimento das estrelas é acompanhado por um forte vento de gás e poeira. Quando esse fluxo de material impacta o gás circundante, as ondas de choque que são criadas comprimem e aquecem o gás, produzindo água."
A água está presente no Universo em quantidades muito grandes, por exemplo, na Constelação de Órion, a quantidade de água detectada seria suficiente para encher um milhão de vezes todos os oceanos da terra, de acordo com o professor David Neufeld, da Universidade Johns Hopkins (Departamento de Física e Astronomia)(Veja Link).

Em todas as religiões a água esta presente em rituais de purificação ou de passagem para uma nova vida espiritual.
A porta da entrada na religião católica, por exemplo, é o bautismo na água.
No Islamismo as orações diárias somente podem ser feitas após a lavagem do corpo com água limpa.
Em diversas religiões, como por exemplo no Cristianismo, Islamismo, Hinduísmo e Judaísmo, a água esta presente desde o momento do nascimento até no ritual póstumo.

No "Popol Vuh"(Veja Link), livro dos Maias, a água foi a fonte de origem do universo e a alma da terra. 
Consta nesse livro: “Não se manifestava a face da terra. havia apenas o mar calmo e o céu em sua totalidade.” 
“Não havia nada que estivesse de pé. Só havia a água em repouso, o mar manso, sozinho e tranquilo. não havia nada dotado de existência.”

Mas, por que a água?
O que é que a água tem ?
Quimicamente a água é Oxigênio e Hidrogênio.

O que sabemos desses dois elementos ?


Sobre oxigênio, sabemos que quando o fluxo dele é interrompido a pessoa perde a consciência em apenas 10 segundos. Caso as células do cérebro fiquem sem oxigênio durante 4 a 6 minutos, elas são destruídas.
O cérebro é quem consome mais oxigênio no corpo, apesar de ter cinco por cento (5 %) da massa do corpo, ele consome 20 % do oxigênio que o corpo precisa.
Por isso, na falta de oxigênio, o primeiro que sofre danos imediatos é o cérebro.

Você sabe que o sangue é vital para nós, o coração é importantísimo porque dele depende a manutenção do fluxo sanguíneo, mas, você lembra porquê é que o sangue é tão importante? 
A principal função do sangue é levar o oxigênio.
O sangue têm outras funções, mas, vimos que sem oxigênio o cérebro morre, embora a defesa, nutrição e "limpeza" sejam funções muito importantes, a que leva ao colapso mais rápido é a falta de oxigênio.

Tudo no reino animal é semelhante, todos os animais precisam do oxigênio.
No reino vegetal também, o processo da fotossíntese, que transforma a energia solar em energia química, é a Rainha do reino, mas o CO2 é o cetro e o O2 a coroa, sem eles não há reinado. 

Outra molécula do oxigênio é o Ozônio (O3), como todos sabemos ele protege a terra da radiação ultra violeta do Sol. O filtro vital da vida no planeta.

O oxigênio foi descoberto em 1771. Parece algo tão recente, tendo em vista a sua importância, isso nos dá uma idéia de quanto avançamos nos últimos dois séculos, ou do pouco que soubemos durante tanto tempo.
Será esse o elemento chave da composição da água ?

Vejamos o outro elemento da água, o Hidrogênio.
Ele é o elemento mais simples que existe, tem apenas um único elétron circundante, é o primeiro elemento da Tabela Periódica.
O Sol é formado, principalmente, por Hidrogênio, que representa 92 % do seu volume e 74% da massa solar. 
O segundo elemento no Sol é Helio, junto com Hidrogênio representam 99 % do volume e 98% da massa da nossa estrela.
O terceiro elemento mais abundante no Sol é oxigênio, que representa 1% da massa solar (Fotosfera). 
Para maior informação sobre o Sol acesse este Link.

A luz e o calor do Sol, entre outras coisas, são o resultado da fusão do Hidrogênio.

O que ocorre no Sol não é algo único. 
Na verdade o Hidrogênio é o elemento mais comum no Universo. Representa 75 % da massa do Cosmos.
Apesar disso, na terra ele está longe de ser o mais comum, ocupa o decimo lugar. É um gás muito leve, mas tão leve que a força de gravidade do nosso planeta não consegue segurar ele.
Tudo isso é importante, mas, o que mais impressiona do Hidrogênio é que, de acordo com os cientistas que estudam a Cosmogênese, origem do Universo, o Hidrogênio foi o primeiro elemento conhecido a existir, vindo a seguir o Hélio e o Lítio. 
Por que isso impressiona ?
Estamos falando da origem do Universo, num momento quando nem sequer existiam os outros elementos, nada, o Hidrogênio foi o primeiro. 
Ele continua sendo a maioria do Universo até hoje. 
Hummm, não sentí muita empolgação.  

Vou fazer uma proposta: Vamos ver isso com a imaginação.
Imagine a matéria que compõe o quarteirão de onde você mora. Comprima ela no espaço da cabeça de um alfinete. Sim, com sua imaginação isso é possível.
Nessa cabeça de alfinete comprima agora toda a massa do bairro inteiro, casas, carros, prédios, tudo, sim, pessoas também, não vão passar mal, e agora, comprima a cidade inteira.
Acrescente o país todo, o planeta todo, mais Vênus, Mércurio e Marte, todos na cabeça do alfinete. 
Sua imaginação é boa ? Vamos ver, comprima todo o Sistema Solar, incluindo o Sol, agora mais rápido, toda a Galaxia da Via Láctea e sugue tudo, como um imenso buraco negro, colocando os 80 bilhões de Galaxias, cada uma com 400 bilhões de estrelas, não interessa, comprima tudo.
Pronto ?
Conseguiu ? Façamos de conta que sim. 
Nessa cabeça de alfinete esta tudo e ela tem toda a massa do Universo, pois bem, é hiper denso, infinitamente denso, agora, mantendo tudo, diminua o tamanho da cabeça do alfinete até ser tão pequena que não é mais visível. Mais pequeno ! Mais !
Você agora chegou no ponto em que os cientistas acreditam.
É isso que eles juram, afirmam, publicam livros e trabalhos, fazem palestras e discutem sem parar, aliás isso para eles é ponto pacífico, o que está em discussão é o que aconteceu nos primeiros momentos quando, numa explosão que nem sua imaginação consegue ver, numa velocidade impensável, daquele ponto invisível tudo foi criado.
Daquele ponto invisível altissimamente denso, que detinha toda a matéria e massa do Universo e inclusive o próprio tempo, tudo volta numa explosão a criar nuvens cósmicas, aglomerados e a seguir galaxias, estrelas em formação... sabe qual foi o primeiro elemento a ser criado ?
Hidrogênio.



Seria mágico você ter o primeiro elemento que existiu no Universo? 
Você pode ter.   
Pegue água, ele está lá. O mesmo, desde o primeiro instante!  
Beba Ele !!!
Saúde e Paz.





quinta-feira, 21 de março de 2013

O Cantinho da Timidez

Gosto de aprender idiomas.
Nem sempre foi assim, quando criança fui automaticamente colocado para aprender inglês e não gostava muito.
Achava as aulas estressantes, principalmente, porque todos tinham que falar.
Toda aula tinha daqueles exercícios que um faz uma frase e depois o outro e assim vai avançando de um em um, você logo conta qual vai ser a sua frase e prepara a resposta. 
Depois que passava minha vez dava um certo alivio.

Talvez até fosse um pouco tímido. Mas não lembro de alguém ter me dito que eu era, talvez por isso nunca achei que fosse.
Ninguém diria que eu era tímido, era bem participativo no geral,  sem contar que no grupo de amigos mais próximos chegava a ser normal.
Acho que ninguém é tímido dentro do seu  grupo de amigos, aquele grupo dos amigos bem conhecidos, um  grupo bem pequeno é claro. 

Se alguém tivesse perguntado se era extrovertido, com certeza absoluta teria dito que não.
Agora, tímido? Dependia do contexto. Com exceção daqueles breves minutos na aula de inglês e daqueles outros na hora de tirar a moça para dançar numa festa, não era tímido não. 
Era calado. De fato não falava muito, alguém dizia que tinham que usar colher para tirar as palavras da minha boca. 

Isso mudou muito, como? Talvez foram se acumulando as coisas que tinha para contar, mas, creio que foi mais devido aos longos anos de escola.

A escola definitivamente é sociabilizante.
Estudávamos oito horas por dia, era uma tal quantidade de todas as matérias que parecia que nos queriam transformar em pequenos Googles ambulantes.
De tanta atividade escolar aprendi a deixar a timidez de lado. 
Nunca a perdi de vista, nem ela desapareceu, ela esta ai num cantinho, mas quando aparece não me incomoda. 
Talvez ela cresceu, assim como eu cresci, acho que ela ficou interessante, virou prudência ou uma prima dela.

O caminho percorrido, no qual a timidez foi para o cantinho dela e se transformou, teve momentos marcantes.
Os principais foram ligados às apresentações. 
Inicialmente, foram daquelas apresentações que são feitas nos colégios no final do ano lectivo. 
Participei de várias e quase voluntariamente. A maioria delas não faço questão de lembrar, não são trofeus, parecem mais com obstáculos superados.

Aprendi várias técnicas para dominar essa coisa paralisante que parece que te congela, uma delas era conhecer bem o lugar onde a apresentação ia acontecer.
Isso está mais ligado a uma época posterior, já formado e trabalhando com pesquisa, quando tinha que apresentar resultados de um trabalho, com pouco tempo, no salão de um Congresso (técnico).
Nessa época ainda não dava muito valor ao conteúdo a ser apresentado. 
Apenas o utilizava sem saber realmente qual era seu efeito no estado de ânimo. 
Depois descobrí que o conteúdo é uma parte fundamental para dominar a timidez numa apresentação.
Ir conhecer o local é importante. Mesmo sem público, estar no palco desperta uma emoção.

O grande divisor de águas, no entanto, foi o primeiro curso de teatro, que não se chamava curso e sim "oficina" de teatro.
A primeira "Oficina de Teatro" que fiz  foi na Universidade de Viçosa, onde estava por conta de um mestrado que não tinha nada a ver com o teatro. Aliás, minha atração pelo teatro foi bem indireta. 

Por incrível que pareça começou  numa assembleia da associação dos alunos de pós-graduação, onde estava em discussão não sei mais o quê, mas a questão era que estava falando a Presidenta da Associação e me chamou muito a atenção, pela maneira como ela falava.
Sou extremamente observador. Isso é algo que você pode esperar de uma pessoa tímida. Quem fala pouco tem mais tempo para pensar e observar.
Percebi que a presidenta mostrava um leve sorriso, dizia as coisas e ia mudando a direção do olhar, se dirigindo a todos, num auditórium lotado de jovens que faziam mestrado e doutorado naquela universidade, ela mantinha uma presença tranquila e sua voz se fazia ouvir. 
Não havia dúvidas do porquê era ela a Presidenta, estava bem preparada e mesmo de longe era cativante, mas, havia algo como uma técnica e despertou minha curiosidade.
Tínhamos uma amiga em comum e ficamos amigos. Acho que ser amigo dela foi um dos muitos milagres que aconteceram na minha vida.
Foi com Amarylles que conheci pessoas que faziam teatro, principalmente ela.
Quis aprender mais a respeito e foi assim como cheguei na primeira oficina de teatro. Com o passar do tempo fiz umas três ou quatro.

Voltando a Amarylles, volta e meia eu descobria coisas e ela me olhava com aquele olhar de quem não está acreditando que eu não sabia algo tão básico.
Nem eu mesmo entendo. 
A coisa mais estonteante de todas, foi que um dia olhando o sorriso dela reparei em algo e "PLIM" caiu a ficha, falei: "Perai, então quer dizer que para sorrir tem que mostrar os dentes ?"
Incrível. Eu não sorria. Sim, sorria do meu jeito. Olha que tinha os dentes sem nenhum problema. 

Isso foi o cúmulo, mas cansei de ouvir dela aquela frase: "Mas, já falei muitas vezes isso para você !" Claro que ela aprendeu algumas coisas comigo, uma pode ter sido que ninguém aprende por você falar, você pode repetir mil vezes, a pessoa só vai aprender quando chegar a vez dela saber.
É inacreditável. 
Bem, posso dizer que com ela aprendi a sorrir.
Como gostaria de conversar de novo com ela. A perdi de vista. Mudanças de cidades, de países, destinos que seguem para frente, inexoravelmente.
Isso não me preocupa. Nas voltas que a vida dá vamos nos encontrar, até lá tenho que correr atrás de aprender mais porque sei que ela vai voando.
Ah não, deixa contar para você mais uma dessa minha inesquecível amiga. 
Ela estava fazendo um mestrado, não lembro exatamente em qual área, só que nessas alturas sentia fortemente a vocação pela psicologia, tanto que fez o vestibular e passou. Como argumentei, não adiantou, largou o mestrado e foi iniciar a graduação em psicologia. "Normal" como ela diria. Pior que eu entendo. Mas, sei que muita gente não entenderia.
Sigamos.

Depois da última oficina, participei de um grupo de teatro amador, que montou a peça "Flicts, a Cor" de Ziraldo.Voltada para o público infantil.
Para quem pensa que isso é mais fácil, diria que sim, o público infantil é o melhor começo possível, alegre, vibrante, um tanto inquieto, mas, independente de quem constitui o público, o palco é sempre um palco.
Não interessa se é amador, se é para crianças, nada, o que você enfrenta não são crianças, é um público, e mais do que nada o que você enfrenta é você mesmo, especificamente, aquela força que você está empurrando para um canto.
A timidez recua, a cada fala sua ela leva um susto.
Ela jamais volta a ser a mesma. 
Mas, sempre volta, nunca desiste, nunca desaparece, porque ela é uma parte de nos. 
Ela se modifica e cresce também. 
Nunca saberei o que teria acontecido sem a experiência das oficinas de teatro, só sei que foi uma experiência transformadora muito importante.

Foi isso, depois de algum tempo apresentando essa peça nos finais de semana, dei como concluída essa fase do teatro, acabou.

Até o dia em que a vida me levou a ser professor numa universidade.
Como valeram as oficinas de teatro! 
Sim, porque a timidez se levantou do seu canto e veio com tudo.
Foi então que descobrí que ninguém é tímido se tem um conteúdo e noções de uma técnica de teatro.

Foram cinco anos de professor com incontáveis apresentações. 
Cada aula que dei frente aos alunos foi uma apresentação, estava num palco, a comunicação com eles e a maneira como o conteúdo era apresentado faziam a peça.
Muitas peças eram fáceis e em outras, antes de entrar na sala de aula, pensava no teatro e minha coragem vinha de saber que dominava um conteúdo e a emoção estava ligada à importância ou à parte apaixonante daquele tema.
O professor algumas vezes é uma personagem, como qualquer outra personagem numa peça de teatro.

Deixei de dar aulas, não dou mais cursos, não faço mais nenhuma apresentação, meu trabalho atual esta longe de qualquer palco.   
O único que sobra são eventuais reuniões ou alguma discussão de improviso.
Será que a falta de uma apresentação tem alguma coisa a ver com os cursos de idiomas ?
Acho que sim. Por mínimo que seja o holofote, é necessário testar sempre, para saber se ela está no seu canto.
Ela detesta holofotes.
Ultimamente, eu também.


FIM





OBS:
Falei que gosto de idiomas, o único que parei de aprender foi o francês, mas, parei com esse e fui para o italiano, que gosto e continuo, no entanto, o grande desafio nesse campo é o russo.
Acho o russo fascinante. Só que para falar sobre russo preciso mais espaço, vou deixar para outra oportunidade.

 


sexta-feira, 8 de março de 2013

Atuar no Palco da Vida




Omitir nossa presença,
quando nos esperam,
será chamada covardia.
Estar presentes,
onde não nos querem,
será chamada opressão.

Devemos ser um e outro
covardes e opressores,
ante os demais.
A nossa vontade
não deve seguir
expectativas e desejos
que não sejam próprios.

Não espere certeza
do papel que representa,
somos atores do improviso,
numa peça sem ensaios.
Covardes e opressores
atuam lado a lado de
amantes, professores e soldados.

Cumpra seu papel.
Desperte ódio ou inveja,
ame, provoque risos,
só não seja morno.

Para os que acreditam,
Deus é o produtor,
Ele mesmo dirige a peça.
Os que não acreditam,
continuam atores,
para todos importa
sentir, manifestar, agir.
Cumpra seu papel !

                          
                                       Dan


terça-feira, 5 de março de 2013

Carlos Mejía Godoy

O músico e compositor Carlos Mejía Godoy tem uma obra que acompanha a história moderna de Nicarágua, na qual predomina o conteúdo social.

Uma das suas músicas mais conhecidas é a seguinte:

video


O conteúdo social não precisa ser triste. Um dos personagens que cita nas suas apresentações é Clodomiro, tema da música "Clodomiro el ñajo" e que coloca em situações consideradas cômicas.

Nas músicas de Carlos Mejía Godoy encontramos uma musicalidade diferente, bem caraterística e que é reconhecível em várias das suas músicas.

Usando palavras derivadas da língua indígena misturada com um espanhol falado por pessoas simples do campo, fez esta música engraçada:

Carlos Mejía Godoy nasceu em Somoto (Nicarágua), várias das suas músicas cantam a pátria com orgulho nacionalista, como por exemplo "Soy puro Pinolero", "Nicarágua Nicaragüita" e "Yo soy de un pueblo sencillo".
Essa última, que canta Nicarágua de ponta a ponta, a encontrei numa versão interpretada por um cantor americano na Russia, cantada com leve sotaque num espanhol perfeito, acompanhado não por um conjunto de mariachis e sim por uma orquestra e ainda legendada em russo, uma combinação interessante, veja:



Carlos Mejía Godoy (1943-  ) foi candidato à vice presidência da Nicarágua pelo partido MRS (Movimento Renovador Sandinista), nas eleições de 2006.
Entre as músicas que ele compôs tem várias explicando o funcionamento de armas e munições, que se encaixam dentro do contexto da revolução pela qual passou seu país.
Mais informações sobre sua biografia podem ser vistas neste "Link".